Sexta-feira, 20 de outubro de 2017 16:36

Participe da Gincana Solidária e ajude o Grupo Mama Renascer

     Durante a Semana do Servidor, a Justiça Federal em Alagoas (JFAL) promove uma mobilização de solidariedade ao próximo, evento em forma de gincana denominado:  "Ações do Bem-JFAL". O prazo de arrecadação   de produtos não perecíveis, roupas, brinquedos e outros produtos, conforme o regulamento em anexo, é até a próxima quarta-feira (25/10).

     Os produtos arrecadados serão doados a ong Grumare – Mama Rnascer, com premiação da equipe vencedora.

Mama Renascer

    O Grupo de Mama Renascer (Grumare) é uma Organização Não Governamental (ONG), que luta por igualdade nos serviços oncológicos e dá apoio a mulheres que passaram pela doença.
O Grumare não tem sede própria e por isso utiliza um espaço cedido no PAM Salgadinho. A localização do Grupo no PAM se deve à grande circulação de pessoas tanto da capital quanto do interior do Estado. Além disso, o grupo teve origem a partir das pacientes mastectomizadas, que faziam reabilitação no Programa de Medicina Física do Pam Salgadinho.

     Oferece suporte físico e psicológico às pacientes com câncer de mama, realizando palestras e mobilizações sociais. Entre as bandeiras de luta do Grupo estão o cumprimento da lei dos 60 dias, onde o paciente, a partir do diagnóstico, tem no máximo 60 dias para iniciar o tratamento, a busca pelo acesso ao tratamento, a redução de desigualdade de infraestrutura de serviços oncológicos, a lei que garante a reconstrução imediata após a retirada da mama e outras lutas como garantia da aposentadoria quando necessária, licenças médicas, remédios e exames importantes como a mamografia.

     O Grupo de Mama Renascer, entidade filiada à Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femam), não tem fins lucrativos, e é formado por mulheres que tiveram câncer de mama. Foi fundado em 2008 e conta com o trabalho voluntário de pacientes que já passaram pela doença. Sobrevive de doações de voluntários e de algumas associações. Se mantêm com a venda de roupas usadas e com alguns artesanatos produzidos em oficinas de arte.

     Tudo que conseguem arrecadar no brechó é revertido para o pagamento do aluguel da sede, Eletrobras, telefone, manutenção diária, e vale-transporte para voluntárias que não têm renda própria, mas ajudam doando seu tempo e desenvolvendo todos os trabalhos da loja, administração e assistência médica vinculada ao PAM Salgadinho.

     O grupo ajuda a agilizar consultas, exames e medicamentos para as mulheres portadoras do câncer que mais mata mulheres no país. A organização atua sem nenhum patrocínio ou apoio de qualquer esfera Municipal, Estadual e Federal. A organização paga também exames das assistidas para o diagnóstico, cirurgia e tratamento necessário o mais rápido possível.

 

Anexos