Segunda-feira, 17 de agosto de 2020 11:32

Autogestão informa novas ações para implantação do TRFMED

A equipe do Programa de Autogestão em Saúde (TRFMED) do Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5 informa as ações que estão sendo realizadas para implantação do TRFMED, cuja expectativa é de que ocorra no último trimestre de 2020, como a contratação da rede de atendimento e do serviço de auditoria médica, bem como os avanços dos estudos atuariais.

Outra ação consiste na filiação à Unidas (União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde), entidade sem fins lucrativos. A vantagem dessa filiação, segundo a Diretoria de Autogestão em Saúde, é a viabilização de melhores condições de negociação com a rede médico hospitalar, uma vez que a Unidas congrega os filiados para negociações em bloco. Entre os dias 17 e 21 de agosto, será realizada uma edição virtual do 11º Seminário da Unidas – Atenção Integral à Saúde, evento que contará com a participação dos membros da equipe do Programa, que buscarão conhecer outras experiências em gestão de saúde.

O processo de contratação da rede de atendimento e do serviço de auditoria médica também está tramitando. A auditoria médica atuará como instância de controle e aperfeiçoamento do processo administrativo do plano, visando a coibir eventuais desperdícios, abusos e pagamentos indevidos, garantindo a idoneidade dos serviços de assistência à saúde prestados aos beneficiários do TRFMED.

Além disso, também contribuirá com o estudo da viabilidade econômico-financeira do programa, a redução dos custos e a orientação de procedimentos adotados, de forma a aperfeiçoar a prestação desse serviço. Nesse sentido, os cálculos atuariais também estão sendo feitos. São esses estudos que fornecerão subsídios sobre os valores a serem cobrados nas mensalidades do TRFMED, levando em consideração alguns critérios, como faixa etária.

Sistema da Autogestão - Outra ação relevante é a definição dos processos de trabalho e o desenvolvimento do sistema de Autogestão, uma interface virtual necessária para se acompanhar a movimentação cadastral dos beneficiários e a gestão da operação da assistência indireta. Segundo a gestora Michele Azoubel, o TRFMED tem colhido as melhores práticas do mercado acerca desses temas, buscando definir a melhor forma de atender ao Programa de Saúde da Justiça Federal da 5ª Região. “Esses processos digitais, integrados aos sistemas do Tribunal, deverão reduzir a necessidade de inserção de dados pelos usuários”, afirmou.